Lá se vão meus anéis, outros virão.

Aperta ctrl e clica aqui: http://www.youtube.com/watch?v=iWOyfLBYtuU

Agora lê.

Quando a gente é criança, todos os anos são iguais, nossa resolução de ano novo é “qual o presente eu vou querer no aniversário? E no dia das crianças? e natal?” nosso objetivo sempre é passar de ano na escola. Mas quando a  gente cresce, cada ano é marcado por um acontecimento ou uma série deles…. 2012 foi sem dúvida um desses anos de gente grande. É tão legal quando o ano começa e você tem todos aqueles planos de que “esse é o ano! Vou fazer tudo diferente!” Essa sensação que inunda o coração da gente ano após ano e bla bla bla mimimi nhemnhennhem

Bem, o texto hoje é em primeira pessoa. 2012 não começou diferente de muitos anos da minha vida. Mudei de cidade. A retirante foi vencer no Rio de Janeiro. Com a benção de Deus e dos meus pais lá fui eu… Não sabia eu que aquela cidade era realmente a capital do sangue quente, do melhor e do pior do Brasil.  Que cidade doida! Sai do conforto da minha casa pra não ter casa. Sai do conforto de uma graninha massa para não ter grana. Sai do conforto de ter um namorado gente boa e descobrir que ele era apenas mais um babaca. Enfim, a desgraça tava feita. Take a sad song and make it better nada mais é que pegar os limões, fazer uma limonada bem azeda e beber alegremente só porque ta geladinha. Mas enfim,  tentar não enlouquecer é uma arte nesse negócio de morar sozinho, numa cidade estranha, sem amigos, o amor-perfeito traindo, a sempre-viva, morrendo e a rosa, cheirando mal… Comecei a sofrer de solidão. A cidade parecia me engulir… A limonada tava feita, desceu guela abaixo e deu aquela dor de cabeça aguda. Sentei na areia da praia e conversei com Deus “Tem mais alguma coisa?, diz aí vai… taca tudo na minha cara que eu mereço” e Ele disse: “Ninguém vai te tirar dessa se você não quiser sair”.

foto(1)

Rebecca, tome um emprego, ocupe a mente, ganhe dinheiro, volte a sonhar.

Comecei a correr atrás dos meus sonhos tão mortinhos since 2009. Finalmente tenho uma casa, digo, casa, minha, daquelas que tem cozinha e sala. Foram 10 meses se mudando de cubíbulo em cubículo, (algumas vezes fiz minha mudança de metro hahaha) convivendo com algumas baratas e gente sem noção… Acordando suada no meio da noite porque seu ventilador é da marca VENTAR. Quem me tem por perto sabe do que eu to falando…. Agora, minha carteira é assinada (adíos vida de freelancer). Me perdi tanto que hoje conheço todas as linhas de ônibus dessa cidade, reconheço alguns cobradores e motoristas. Fui dezenas de vezes esmagada neles e quando tinha sorte, eu ia sentada no degrau da porta. Agora eu ando de metrô (to rycaaaa kkkk e sem malas),  comprei meu primeiro bem próprio :)) (não o apartamento, uma tv hahaha), estou 8kg mais magra (algo bom disso tudo), terminei minha pós!  E 2012 ainda nem terminou… É bem verdade que ainda durmo no chão (optei por uma decoração japonesa cof cof), não tenho nem guarda roupa, nem mesa para comer. Mas tenho paredes! Tenho tv, um espelho (!!!) Tenho roupas que dão em mim, tenho vontade de vencer, tenho uma família que é meu alicerce e Deus… aaahh Deus!  Tenho tanta coisa invisível aos olhos. Mas nem tudo é uma maravilha nem muito menos minha história é digna de parecer no Programa do Gugu, só digo tudo isso porque precisava externar e compartilhar o meu sorisso. Sim, mas e a solidão?

montagem

:)

É bem verdade que eu ainda ando muito magoada com o Rio de Janeiro que não me recebeu tão bem quanto eu imaginava. Mas tenho certeza que  aqui  fiz os melhores amigos que uma retirante pode ter. Foram eles os responsáveis  por momentos tão raros e tão únicos que meus olhos se enchem de lágrimas só de pensar… Se eu pudesse ter filmado cada lágrima e cada sorriso que eu dei dessa cidade… Digo isso porque senti que 2012 foi o ano que eu precisei fazer o que há muito tempo eu tinha protelado a fazer. Precisei passar por tudo isso pra dar mais valor a vitória, no qual eu ainda nem alcancei. É maravilhoso olhar pra trás e me ver como uma personagem de uma história de terror que soube sobreviver, que descobriu o quanto é forte e que ta pronta pra outra. Estou mais experiente, mais alerta, de olhos abertos para as oportunidades de fracassos. Quero crescer, nunca gostei de nada fácil e sei que ainda falta muito pra chegar onde eu quero ir mas já posso dizer que tudo valeu a pena.

Hoje acordei e a janela tava aberta, o ceu estava azul e isso foi o suficiente pra me fazer sorrir.

SÓ DIGO MAIS UMA COISA: DOG DAYS ARE OVER! 

Feliz 2013, Feliz Rio de Janeiro :)

Anúncios

3 comentários sobre “Lá se vão meus anéis, outros virão.

  1. Diego Cirino disse:

    Perfeito Rebecca. Nunca duvidamos do quanto você é vencedora e batalhadora. Os sonhos ainda não se realizaram por completo, mas garanto que você está no caminho certo. Orgulho de ser seu irmão. Detone aí!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s