Rebecca Ci! ri-no

Olha eu aqui prontinha pra falar de filme. Considerando que a última vez que fui no cinema foi para ver Gonzaga – de pai para filho, sim, em outubro de 2012, não to lá com essas moral toda não, mas vamos lá! (é que eu sempre arrumava uma desculpa bem feia para não ir ao cinema, por falta de dinheiro falta de companhia.)

Mas eis que surge Frances Ha! Em algum artigo de alguma revista eu vi algo falando sobre esse filme, gostei, catei o trailler, coração bateu mais forte. Porque esse filme mexeu tanto? De uns meses pra cá eu me tornei mais uma vítima da carga horária de 44h semanais. Trabalho até às 20h, chego em casa às 21h e não tinha mais saco de fazer nada além de ver o Félix na tv. Andava bem tristinha no automático… Tão automático que semana passada eu decidi revolucionar e fiz planos de IR AO CINEMA! \o/ UAU! Fiquei tão empolgada que até uma roupa mais legal eu escolhi no dia… hahah tosca.

Fui pro shopping, jantei, passei no Starbucks e fui ver aquele filme preto e branco que tanto me encantou no youtube. *hipster*

E eis que eu passo o filme inteiro apaixonada por Frances, porque Frances sou eu. Assim como várias meninas de vinte e muitos anos, é,  meninas, que ainda se encontram perdidas nessa vida mas sabem exatamente o que querem dela. Que sonham, que buscam, que caem mais voltam a correr e que sorri. Sorri da vergonha alheia que é sua vida, dos amigos que fez o até daqueles que te magoaram. Que muda pra caramba, muda de companheiros de apartamento, de apartamento, de emprego e de amigos. Eu sai do filme com a sensação de ter vivido uma experiência e com vontade de fazer meu próprio filme.

Frances encanta por ser tão real e que mesmo que ela estivesse dentro dos padrões, seria apaixonante do mesmo jeito. Grandona, desajeitada e descabelada. Ela consegue chegar ao cúmulo da inocência em algumas parte do filme mas com responsabilidades de gente grande. Se identificar com ela é quase inevitável principalmente quando ela se vangloria com apenas uma pequena vitória e sai dançando por aí comemorando o feito. QUANTAS-VEZES-EU-JA-NÃO-FIZ-ISSO? Me julguem, mas eu faço isso demais por aqui hahah me aproveito de uma cidade onde ninguém me conhece pra fazer essas coisas :) Sem entrar em detalhes mas ser irresponsável financeiramente para viajar, também é a parte que Frances is me.

Voltando pra Frances, ela quer muito ser bailarina e fica batendo na mesma tecla dezenas de vezes até a vida mostrar um outro caminho pra ela… <3 Assim como ela, eu to numa fase da vida que parece que vai durar para sempre! Aquela de altos e baixos, to animada mas to triste, to triste mas to confiante, to cansada mas to animada, a bipolaridade dos vinte poucos anos ainda vive em mim.

A diferença é que nada é capaz de derrubar Frances. O que essa personagem me fez aprender é que não tá facil pra ninguém então deixa de reclamar! Sabe? Tem dias que a pessoa acorda tão desacreditada da vida, fica de mal humor e não quer conversa com ninguém. Daí vem Frances com o mega sorriso bobo na cara e me ensina que: continua tentando, um dia tu chega lá! Então tente fazer o dia parecer mais leve e… sorria :)

Obrigada Frances, você me ensinou que viver das ciências humanas, ganhar pouco e trabalhar muito é parte fundamental de todo mundo que quer crescer… e consegue.

AHOY SEXY!!

Anúncios