Lições de uma viagem sem fim – Parte 1

Eu tenho mais uma história bizarra pra contar pra vocês, ainda está custando muito caro e parece não ter fim. Mas eu sei que vai ter fim e no final eu vou sorrir :)

Lição 1 – Nada de última hora sai do jeito que você quer – Sem qualquer planejamento eu, como de praxe, estava com um faniquito pra viajar e queria a todo custo… andava muito triste aqui porque a única coisa que eu fazia da vida era assistir aula e estudar, assistir aula e estudar. Até que de última hora juntou uma galera decidida a ir pra amsterdam, eu, a única com licença para dirigir aluguei um carro no meu nome (pode fazer cara de: vai dar merda). Acontece que a gente juntou uma galera que se conhece a apenas 2 meses e todos no intuito de ALOPRAR, menos eu. Eu queria apenas alguns posts novos pro meu blog :(

Alugamos o carro na quarta a tarde, na quarta mesmo a gente pegou a estrada pra amsterdam. Eu recebi vários sinais de “não faça isso, rebecca” mas ignorei todos por puro fogo… A ligação do carro caiu dezenas de vezes e quando eu consigo reservar o carro a mulher logo em seguida  dizendo que o carro não estava mais disponível mas tinha um pouco mais caro… eu aceitei, afinal iria dividir com a galera. Teimosa. Assim que peguei o carro, tentando ver o mapa, subi na calçada, na mesma hora veio na minha cabeça: isso não é uma boa ideia.

O primeiro erro foi: pegar a estrada cansada. Não sofri nenhum acidente mas quase provoquei vários… todo mundo dirigiu um pouco mas dirigir durante a noite toda nunca é uma boa né? Acho que a macumba que jogaram pra cima de mim foi de morte porque eu nunca vi minha vida em risco tantas vezes em um só final de semana. Mas ok, chegamos vivos em Bruxellas (8h depois) e paramos para comer e conhecer um pouco a cidade. Fomos num dos mais famosos bares de Bruxellas, o Manneken Pis, que fica em frente a mais famosa fonte da cidade, de mesmo nome, que é nada mais que um guri mijando :P Tem uma réplica desse mesmo guri na sede do Botafogo no Rio, o “manequinho”.

todos felizes.

todos felizes.

Lição 2 – Não se sacrifique pra ajudar no andamento da viagem, se ninguém ajuda, não ajude também – Todos ficaram bêbados (menos eu e uma amiga minha) e a gente ainda tinha mais 2h e meia de estrada pela frente, eu peguei o carro, claro, e a gente seguiu. A galera acabou aloprando muito, parando na estrada pra fazer xixi toda hora, derramando cerveja e cigarro no carro e eu ficando cada vez mais puta. A bateria do meu celular acabou e a gente tava usando minha internet por conta do GPS (eu não sabia, mas eu tava pagando romming de dados). Nossa viagem durou quase 4h. Cheguei em Amsterdan estraçalhada querendo apenas um banho.

IMG_7146

Lição 3 – não deixe ninguém escolher o hostel pra você. Fomos pro hostel, guardem esse nome: Bostel Amsterdamse Bos. A diária custa apenas €15 mas é super distante da cidade e difícil de achar (sem carro, impossível, sem gps idem), não é hostel é um camping. Ou seja… chegamos quase 20h e a recepção estava fechada com apenas um bilhete dizendo qual era o nosso quarto. O quarto tava aberto e dormimos com ele aberto porque não nos deram a chave. A melhor parte é: pagava para tomar banho e só dava pra comprar ficha do chuveiro na recepção que estava…? fechada. Fazia uns 10C lá fora e o aquecedor também pagava pra usar, dormimos sujos e congelados. Estavamos certo que precisavamos procurar outro lugar pra ficar, desse jeito era impossível. O local lá até que é legal, bonito, mas só funciona quando você ta preparado pra encontrar tanta coisa inconveniente assim…

IMG_7336

Lição 3 – Não viaje de galera, 4 pessoas é o máximo permitido para o bom andamento da viagem. Acordamos não super dispostas porque simplesmente um cara da recepção entrou no quarto e saiu acordando todo mundo “levante pra fazer o check in, documento por favor, documento!” BI-ZA-RRO. A gente teve que ir de pijama na recepção pagar tudo e comprar fichas pra tomar banho. Colocamos tudo dentro do carro de novo porque pretendíamos achar outro lugar pra ficar na noite seguinte. Porém na noite passada os alopradores ficaram bebendo e fumando a noite inteira e acordaram quase 11h da manhã. Perdemos o dia inteiro esperando as belezinhas, chegamos no centro da cidade às 15h, comemos e acabou o dia. Aliás ta aí uma dica boa pra quem quer comer bem em Amsterdam “Pancake Corner” que de pancake não tem nada… Lá você pode comer unlimited costelas com molho barbecue tipo do outback sabe? Por apenas €10,95. Mas a pegadinha é: você TEM que pedir bebida que custa em média €5,00. Mas mesmo assim, vale a pena para os esfomeados.

IMG_7337

Enfim, como ta perto do inverno o dia escurece muito cedo, 17:30 já era noite. Demos uma volta pela cidade ainda, tiramos raras fotos, fomos em alguns hostels mas não achamos nada custo/benefício e decidimos voltar pro mesmo bostal hostel. Porém a viagem foi drasticamente afetada a partir do momento que chegamos no carro.

to be continued… clica aqui

Anúncios

2 comentários sobre “Lições de uma viagem sem fim – Parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s